Poppins não é dark, é magic kitchen. É hambúrguer que enfeitiça

Com burgers ultrasmashed servidos em cinco receitas, a casa já vendeu mais de 18 mil lanches em quase 10 meses de funcionamento

Tudo começou assim: em plena pandemia, três irmãos aficionados por hambúrgueres decidiram colocar em ação um plano antigo e, assim, manter os 110 queridos funcionários de uma rede de restaurantes com 40 anos de história. Como num passe de mágica – ou numa aparição de Mary Poppins – nasceu uma hamburgueria capaz de reproduzir a felicidade infantil diante de um bom burger, ultrasmashed (uma bolinha de 50 gramas de carne “esmagadinha”)

 

 

A carne tostadinha na medida, o queijo derretendo, um molho especial. Um sanduíche simples e as incontáveis possibilidades de combinação deram vida ao Poppins; levaram Igor, Junior e Carolina Costa a uma boa dezena de testes de pães e blends de carnes, assim como a 32 receitas até o desenvolvimento do próprio american cheese – aquele creme que derrete como um molho, normalmente à base de cheddar, ganhou um toque de queijos brasileiros e uma fórmula que jamais será revelada.

 

 

A invenção do creme autoral tirou o Poppins do plano das ideias e levou-o a uma cozinha escondida na Rua Augusta, de onde ele foge da mesmice do pão, carne e queijo ao dar protagonismo a seus molhos. Em seu DNA, a fonduta de queijo misturada à maionese caseira incrementada com 12 ingredientes secretos faz a mágica no paladar. Para embalá-la sem perda de temperatura, textura e sabor, um papel térmico, que não rasga na abertura, garante que ela percorra sem alterações o raio de 7 quilômetros de entregas do Ifood.

 

 

É possível provar o molho-magia agindo sobre dois ultrasmasheds (as bolinhas de 50 gramas de burger crocantes) em cinco versões: o cheese burguer (no brioche com american cheese, R$29,90), no classic (com o acréscimo de cebola, picles, ketchup e mostarda, R$30,90), no cheese salada (com tudo isso mais alface, tomate e maionese verde, R$31,90), no cheese bacon (com destaque para o bacon artesanal, R$32,90) e no tetra onion bacon (este com 4 smashes, bacon bem defumado e cebola caramelizada, R$37,90).

 

 

Cada uma dessas receitas pode se converter em combos com fritas bem fininhas e refrigerante (a partir de R$39,90). As batatas da casa, contam com Chips tradicional (R$ 11,90) e Chips Poppins (R$ 12,90) que vale dizer, levam páprica e raspinhas de limão, também com opção batata palito poppins (R$ 14,90) ou tradicional (R$ 13,90), todas apreciam a companhia de maionese verde ou aioli. Todos os pedidos saem escoltados por frases da musa inspiradora, a Mary, e Dipnlik, o pirulito símbolo dos anos 1980. Para quem quiser, hit da casa, o brownie Manai, generosamente coberto por ganache, adoça ainda mais a refeição (R$19,90).

“Para nós, hambúrguer dispensa garfo e faca, mas pede frescor. Por isso, no Poppins a carne é fresca e moída na hora, o american cheese é feito todo dia, a maionese também. É tudo muito simples, mas nossa essência é confidencial, como uma magiquinha que garante um fast food fora do comum”, define Igor.

 

 

Em quase 10 meses de funcionamento, o Poppins já vendeu mais de 18 mil hambúrgueres. Não à toa, ampliou os horários de atendimento e, até o meio do ano, deve contar com mais dois pontos de distribuição de sanduíches que transcendem modinhas, que aportam um pouco de aconchego e um sem fim de sabor.


SERVIÇO POPPINS

Delivery pelo aplicativo do iFood
Horário de funcionamento das entregas: Almoço de Segunda a Sábado das 10h às 15h, e no Jantar de Terça a domingo a partir das 17h45.

Compartilhe

Comentários estão fechados.