A história do logo da Starbucks

Resgatando a origem do logo mais non-sense do mundo, a sereia topless de duas caudas da Starbucks.

Você nunca mais vai ver o logo da Starbucks da mesma forma. “Uma empresa de café ou um estúdio especializado em produções pornográficas com temática de sereias? Ah, vamos fazendo o logo, depois a gente decide!”

A animação da Robot Chicken é curtinha mas vai direto ao ponto, resgatando a origem do logo mais non-sense do mundo, a sereia topless de duas caudas da Starbucks. Na época havia a dúvida entre uma empresa de café ou um estúdio de pornografia com temática de sereia. Ganhou a primeira opção. Com um crop para preservar um pouco a imagem da empresa.

Da Wikipedia:

“O logotipo da empresa é uma sereia com duas caudas, mas com o passar dos anos o logo foi simplificado. Na primeira versão, a sereia exibia os seios e suas caudas eram totalmente visíveis. Na segunda versão, seus seios foram cobertos com cabelo, enquanto seu umbigo ainda podia ser visto parte das caudas foi eliminada. Na versão atual, os seios e o umbigo não são visíveis e das caudas restam apenas a se(c)ção final.”

Se preferir, pode dar uma lida na explicação oficial da sereia, da Starbucks.

Sirius era a estrela mais importante no céu para os antigos egípcios. O antigo calendário egípcio foi baseado na ascensão de Sirius. Está estabelecido com certeza que Sirius às vezes foi identificado pelos antigos egípcios com sua deusa principal Ísis

O companheiro de Ísis era Osíris, o principal deus egípcio. O “companheiro” da constelação do Grande Cão (que inclui Sirius) foi a constelação de Órion. Como Ísis é igualado a Sirius, o companheiro de Ísis deve ser igualado, igualmente, ao companheiro de Sirius. Osíris é assim equiparado ocasionalmente à constelação de Órion.

Sabemos que o “companheiro de Sirius” é na realidade Sirius B. É concebível que Osíris como Órion, “o companheiro de Sirius”, seja um substituto do verdadeiro companheiro invisível Sirius B.

Sirius também é conhecido coloquialmente como a “Estrela do Cão”, refletindo seu destaque em sua constelação, Canis Major (Grande Cão)

‘The Dog Star’ é uma designação comum de Sirius ao longo da história conhecida. O deus antigo Anúbis era um “deus cachorro”, ou seja, ele tinha o corpo de um homem e a cabeça de um cachorro.

Ao discutir as crenças egípcias, Plutarco diz que Anúbis era realmente filho de Néftis, irmã de Ísis, apesar de ter sido dito que ele era filho de Ísis. Néftis era ‘invisível’, Ísis era ‘visível’. (Em outras palavras, a mãe visível era a substituta da mãe invisível, que era a mãe verdadeira, pela simples razão de que a mãe invisível não podia ser percebida.)

O deus principal da Suméria / Babilônia, chamado Anu, foi retratado como um chacal, que é uma variação do motivo do cachorro e também foi usado no Egito por Anúbis, o cão e o chacal aparentemente sendo intercambiáveis ​​como símbolos. A forma egípcia do nome Anubis é ‘Anpu’ e é semelhante ao ‘Sumu’ Anu ‘, e ambos são deuses do chacal.

Fonte/Link oficial: Update or Die

Por:

Compartilhe

Comentários estão fechados.